• Andrea Rebello '

O GUIA COMPLETO DA HIGIENE ÍNTIMA FEMININA

Atualizado: 25 de Mar de 2019

Confira algumas dicas de como cuidar, limpar e amar a sua pepeka Pepeka, xana, buceta, xotinha, Larissinha – seja lá como você chamar a sua vagina, uma coisa é certa: você precisa amá-la, respeitá-la, na alegria e na pobreza, na saúde e na doença, até que a morte as separe. E que maior prova de amor do que cuidar e higienizar essa parceira de vida que te proporciona taaaanto prazer e felicidade? Por isso, vim aqui selar de uma vez essa união com um GUIA COMPLETO DA HIGIENE ÍNTIMA FEMININA.


Atenção: as orientações a seguir servem para a maioria das mulheres saudáveis. Se você possui alta sensibilidade, antecedente de quadros alérgicos ou está com algum processo inflamatório/infeccioso, siga a orientação do seu ginecologista!

EM UM RELACIONAMENTO SÉRIO COM A MINHA PEPEKA

Não tem como amar de verdade sem conhecer completamente o(a) outro(a), né? Por isso, você PRECISA conhecer a sua própria anatomia. Sério, você precisa fechar os olhos e saber exatamente como ela é, cada detalhezinho, porque é isso que vai garantir a durabilidade dessa relação. Então, a não ser que você seja uma contorcionista do Cirque de Solei, o melhor jeito de conhecer essa maravilhosa é SE OLHAR NO ESPELHINHO.

Trecho da primeira temporada da série Big Mouth, produzida pela Netflix


Crie o hábito de olhar sempre a sua vulva no espelho, que nem você criou o hábito de olhar o seu rosto no espelho. É assim que você sabe que cresceu um pelinho aqui, apareceu um cravo acolá, não é? Porque você sabe exatamente como é cada partezinha do seu rosto e então percebe instantaneamente quando surge alguma diferença. Então, elementar minha cara: a mesma coisa acontecerá se você fizer o mesmo com a sua pepeka.


O CHEIRO DA PPK


Tem muita mulher que se entope de produtos de higiene íntima para tentar inibir o cheiro da própria vagina. É importante ressaltar, quantas vezes forem necessárias, que XOXOTA TEM CHEIRO DE XOXOTA. É claro que esse cheiro vai variar de mulher para mulher e uma mesma mulher pode apresentar diferentes cheiros ao longo do mês, ou ao longo do dia. Muitas mulheres relatam que durante a ovulação o cheiro da vagina muda. Quando a mulher sua, por causa do calor e/ou de exercícios físicos, a pepeka fica suada também e exala um odor mais forte. Depois do banho, um odor mais suave. Mas em todas as situações, é um cheiro normal, saudável e único. Ame e reconheça o seu!


CUIDE BEM DO SEU AMOR


Quem ama, cuida, já dizia o poeta. E a melhor forma de cuidar da sua pepeka é higieniza-la corretamente. A higienização não serve para tratar infecções ou distúrbios, mas é fundamental para manter o bem estar e a saúde da sua genitália. Então fique atenta às dicas abaixo:


  • Tanto a falta quanto o excesso de limpeza, além do uso inadequado de produtos, podem promover alterações e favorecer infecções. A frequência ideal é lavar de 1 a 3 vezes ao dia.

  • Nunca lave a vagina por dentro, pelo amor da deusa! Ela á “auto-limpante” e mexer no canal vaginal pode desregular a flora e o pH, deixando o caminho aberto para infecções. Você só lava a vulva, que é a parte da vagina que dá pra gente ver.

  • Toda mulher adulta possui secreção vaginal. O nosso corpo fabrica e excreta secreções o tempo todo, como a saliva e o suor, e isso não é apenas normal, como é sinônimo de saúde. A secreção vaginal normal é transparente, branca ou branca-amarelada, e sua consistência e odor podem variar de acordo com alimentação, vestuário, temperatura, hidratação, excitação sexual, fase do ciclo menstrual, fatores emocionais, uso de medicamentos, etc. “Corrimento” é o nome dado a uma secreção vaginal anormal, causadas por infecções de fungos e/ou bactérias e tem um aspecto bem diferente da secreção que sai da vagina todos os dias.

  • Durante a menstruação, a higienização da pepeka deve ser feita com mais frequência para melhorar a ventilação da região e reduzir a umidade. O sangue menstrual e o uso prolongado de absorventes com película plástica externa são fatores que irritam a região genital. Caso opte pelo uso de absorvente externo, troque-o a cada 4 horas, mesmo que não esteja completamente cheio, para evitar o acúmulo de bactérias. Absorventes internos podem permanecer no máááximo 8 horas dentro do corpo. Coletores menstruais até 12 horas. E quem usa calcinhas absorventes deve seguir as orientações específicas de cada fabricante.

  • Por favor, por favorzinho, PELOAMORDADEUSA, não use absorventes diariamente! Apesar do nome “absorvente diário”, trata-se de um produto que abafa a vagina, concentra umidade e modifica inclusive o cheiro e a cor da secreção vaginal.

  • DURMA SEM CALCINHA. Deixe a sua pepeka “linda, livre, leve e solta” durante a noite. Ela vai respirar, relaxar e, se der sorte, até gozar rs...Esse é o melhor conselho que eu posso te dar!

  • Algumas mulheres (eu, inclusive) sofrem muito com assaduras na parte interna das coxas, principalmente no verão. Eu já busquei muitas soluções e vou contar o que funciona para mim: uso um shortinho por baixo das saias e vestidos e passo sempre desodorante em barra na região. Vaselina também costuma ajudar, mas como deixa tudo melecado, deixo para passar à noite, para dormir. Quem tiver outras dicas, manda pra mim, por favor!


O QUE USAR PARA LIMPAR A SUA PEPEKA


Para limpar os lábios, a virilha, o ânus e os pêlos, é recomendado:

PAPEL HIGIÊNICO


Escolha sempre os sem cheiro e sem cor, de superfície macia e com folha dupla (ou tripla, ou quádrupla). Na hora de usar, NÃO ESFREGUE a pobrezinha, e sim dê leves batidinhas para absorver o xixi. E o mais importante: nunca, jamais, never, passe o papel de trás para a frente, pois isso pode levar bactérias do ânus para a vagina que podem causar infecções genitais e urinárias.

SABONETES VEGETAIS NATURAIS


São a benção divina da Nossa Senhora das Pepekas Aladas. Os melhores são de barbatimão, aroeira e argila. Você pode encontra-los em casas de produtos naturais, pela Internet ou até mesmo fortalecer o trabalho de muitas mulheres que trabalham com a produção artesanal de cosméticos naturais.

SABONETES LÍQUIDOS


Caso você opte por um sabonete de farmácia, escolha um que seja líquido. Os sabonetes em barra costumam ser alcalinos e essa alcalinidade pode agredir a camada protetora da pele, que possui um pH levemente ácido e ajuda a nos proteger contra agressões externas. O sabonete precisa ser incolor, com pH ácido (entre 4,0-5,5) e não pode fazer muita espuma, porque isso indica que ele é composto por detergentes, verdadeiros agentes de limpeza profunda que retiram tudo, inclusive a proteção natural da pele. Lembre-se: o excesso de limpeza não é benéfico.

Jamais. Jamais... JAMAIS utilizar sabonetes com componentes antissépticos/antibacterianos, pois eles de fato funcionam e retiram TODOS os microorganismos da região, inclusive os que fazem parte da flora vaginal, ou seja, os moradores nativos da nossa pepeka, que ajudam a protege-la.


LENÇOS UMEDECIDOS PARA HIGIENE ÍNTIMA


O uso de lenços umedecidos para higiene íntima é útil em algumas situações específicas, como higiene fora de casa, sanitários de uso público, etc. Nessas situações de emergência é uma mão na roda! MAS SÓ NESSAS SITUAÇÕES, NÃO TRANSFORME ISSO EM UM HÁBITO DIÁRIO. Quando usá-los, dê preferência aos lenços hipoalergênicos com pH ácido, sem álcool e sem perfume (específicos para a higiene íntima ou aqueles de bebê). Sua aplicação deve ser muito suave, tipo um carinho -nada de esfregar a coitadinha.


CHÁ


O de camomila faz um bem danado, porque ela tem propriedades calmantes e que combatem infecções.


ÁGUA


Sim, a água é o maior e mais antigo agente limpante da humanidade. Água lava e limpa. Tem gente que prefere só lavar com água – e tá tudo bem!


DUCHA HIGIÊNICA DO BANHEIRO (A FAMOSA MANGUEIRINHA)


Pode usar sem medo, desde que não a introduza no canal vaginal. Direcione a duchinha de cima para baixo e de frente para trás. Inclusive, ela é uma ótima aliada da masturbação, pois aquele jatinho no clitóris pode fazer maravilhas rs...#ficaadica

Duchas vaginais: não as utilize como forma de higiene, pois podem remover a flora vaginal e alterar o pH. Podem ser utilizadas para tratamento de corrimentos, mas eu recomendo não usar as de farmácia, que tendem a acumular resíduos em seu interior. É preferível usar uma seringa descartável de 10-20ml.


IMPORTANTE: Após a lavagem, seque bem a xoxotinha com uma toalha suave ou pode também passar rapidinho o secador de cabelo. Eu disse rapidinho, viu?! E de longe, porque a gente não quer churrasquinho de pepeka, né?

DEPOIS DO BANHO, HORA DE POR A ROUPITCHA


Ou seja: hora de colocar a calcinha.


· Para o dia-a-dia, use calcinhas confortáveis de algodão ou dry fit, que são tecidos mais respiráveis e permitem o controle da umidade local. Se você não tiver alergia, não tem problema usar lycra ou outros materiais sintéticos – as famosas calcinhas de renda - mas evite o uso prolongado. Deixe para os momentos mais calientes, porque afinal elas não vão durar muito tempo ali mesmo rs...


· Troque pelo menos uma vez por dia a calcinha e, em casos de suor excessivo, troque mais.


· Após o uso, lave bem sua calçola. Se usar máquina de lavar, evite amaciante, porque ele pode causar alergia. Enxague exaustivamente em água corrente e pendure num local arejado, que bata bastante vento ou sol ou use a secadora, se tiver. Para quem não tem, é bacana usar o ferro para passar o forro e garantir que todas as bactérias e fungos morreram com o calor.


· Se você lavar durante o banho, não deixe secando no banheiro, porque isso é um banquete para as bactérias.


· Ao guardar as suas calcinhas, verifique se a gaveta não possui nenhum ponto de umidade ou mofo. Para prevenir o crescimento de fungos, forre a gaveta por dentro com papel contact ou guarde as peças íntimas num saquinho de pano (nunca saquinhos plásticos).


CARECA OU CABELUDA?


Eu sempre digo às minhas pacientes: você ser pelada ou peluda não faz diferença alguma para a sua saúde e menos ainda durante o exame ginecológico. Pode fazer pista de avião, coraçãozinho, bigodinho, apenas aparar, deixar ao natural... você decide! Histórica e biologicamente, pêlos representavam uma proteção na época em que os humanos andavam com pouca ou nenhuma roupa, quando não existiam calcinhas e as vestimentas eram feitas com tecidos grossos e abrasivos. Como hoje vivemos em outro contexto, a depilação se tornou uma preferência pessoal.


Mas acho importante ressaltar, quantas vezes forem necessárias, que ter pelo não é sinal de falta de higiene. Se alguém precisa se depilar para se sentir limpo, porque não depila a sobrancelha e raspa o cabelo? Higiene é feita com água e sabão, e não com depilação.


Acredito que cabe uma autorreflexão aqui e em muitas outras questões das nossas vidas enquanto mulheres: eu faço isso porque eu gosto ou por conta de uma pressão social? É para me agradar ou para agradar o meu parceiro? É porque eu me sinto bonita de verdade ou porque me ensinaram assim? As respostas e escolhas são individuais!


Em tempo: depilar é um tipo de agressão à pele que gera microtraumas, então quanto menor a frequência, melhor. Nas primeiras 24 horas após qualquer tipo de depilação, lave bem o local, faça banho de assento ou aplicações de chá de camomila frio para acalmar a irritação. Usar pedacinhos de babosa, que tem potencial hidratante e cicatrizante, é ótimo também.


PEPEKA ESTILOSA


Se você tem ou quer ter um piercing e/ou fazer uma tatuagem na região íntima, preste atenção!


PIERCINGS

Se você acha bonito e quer furar a pepeka, dê preferência às joias de aço cirúrgico ou titânio, por serem menos alergênicas. Nunca use joias que contenham níquel! O cuidado para quem tem piercing na pepeka é redobrado com relação a roupas, na hora de lavar e na hora de transar (ele pode até furar a camisinha!!!).


TATUAGEM


Se quiser tatuar a Larissinha, escolha cores que sejam menos propensas a causar alergias. Vermelho, por exemplo, é a cor que mais provoca reação alérgica. Converse bastante com o seu tatuador para saber mais detalhes sobre o material utilizado. Escolha um estúdio com boas recomendações, que utilize materiais esterilizados e descartáveis.


Tanto para piercings quanto para tatuagens, um conselho que me parece sensato é: não comece na região íntima. Escolha primeiro um local do corpo que não seja tão sensível, até para testar seu nível de dor, sua cicatrização e possíveis reações adversas. Se você já tem tendência a formar queloide, por exemplo, ou se possui muitas alergias na pele, reflita se vale mesmo a pena arriscar, afinal o resultado estético pode ficar muito ruim e inclusive afetar para sempre sua autoestima, sexualidade e saúde.

E DEPOIS DE TRANSAR?


- Use camisinha (nunca é demais relembrar!)

- Faça xixi depois da relação, porque ajuda a eliminar boa parte dos microorganismos adquiridos

- Se possível, use água e sabão para lavar a região. Se foi uma transa caliente e tiver fissuras, ardências, irritações, experimente lavar e/ou fazer banho de assento com chá de camomila.

5,446 visualizações

 © 2018 criado por Kalinka Araneda

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle